domingo, 27 de novembro de 2011

Poderia?

Eu poderia te amar...


Deveria por ti me encantar...

Seria tudo perfeito!

Pois ao amor temos direito!



Eu poderia me apaixonar...

Por cada sorriso que em mim tu dispertas!

Eu deveria me apaixonar!



Eu poderia amar esses seu olhos...

Hora verdes, hora azuis...

Hora cor de tempestade!

Eu deveria amar seus olhos!



Aah coração...

Seria tudo tão perfeito!

Porque?

Eu te pergunto porque não se apaixonar?



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Licença

Sr. português eu peço licença!


Licença para escrever meus versos de forma erronea!

Licença poética?



Essa mesmo, que doem aos ouvidos...

Essa que faz nossos olhos gritarem de desepero,

Quando lemos algo assim errado, digamos!



A sr. português, os versos estão bonitos...

Perdoe-me por maltratar vossa excelência!

Não é que eu não te dê valor...

Eu apenas peço licença!



Esse diabo dessa licença...

Que possibilita que eu escreva assim...

tão errado!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Mais que palavras

Sinceros momentos!


É preciso mais que palavras...

É necessário sentimentos...



É uma questão de necessidade!

Necessita-se de mais que palavras...

É preciso cumplicidade!



Cultiva o silêncio!

Tuas palavras não bastam...

Não me dão um alento!



Não me encanta mais...

Palavras tornam-se desnecessárias!

De atitudes eu quero mais!



Cansei das palavras...

Viver é mais...

Do que dizer...

Algumas poucas palavras!



Sentir é mais...

Do que declamar...

alguns poucos versos!

Palavras não me bastam!



Preciso de mais que palavras!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Silêncio

Nada mais nobre!
Nada mais lindo...
O silêncio tudo encobre!

Silência-se o sentir...
Mais fácil que partir!
Silência-se o falar...
É sempre mais fácil calar!

Silêncio torna nobre a solidão...
Deixa o pranto contido...
E afasta de ti a ingratidão!

Só o silêncio consola...
Esse pobre coração!
Silencia-se de tudo...
Mas não perca a razão!

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Sem importancia

De repente descobre-se...


Não tinha importancia!

Ele não era tudo...

Na verdade não significava nada!



De repente nota-se:

Tudo esta indo muito bem!

A vida segue alegre!

Os dias são felizes!



De repente vê-se que:

Não faz falta...

Não faz a mínima diferença!

O sentimento a muito se perdeu!



Era alguém sem importancia!

Alguém que virou uma vaga lembrança!

Dessas que surgem na memória,

e depois somem sem esperança!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Seu ultimo poema...

Se diz assustado com meu ciúmes...


Surprezo com meu sentimento...

Despertou em mim, o mais profundo sentimento!

Dedica a mim versos de que quer REVIVER



Outras acreditam que os versos são delas...

Te digo que seus versos me parecem cantadas coletivas!

Perante a isto tu foges...

Diz que não era bem aquilo!

Brinca comigo, como a um fantoche...



Diz que escreve o que não quer viver...

Desculpe-me mas quem escreve, o faz por um motivo!

Não sei qual era a sua intenção...

Acho que essa realmente era magoar meu coração!



Mas que fique bem claro:

Só venha se for para ficar!

Só me procure se for pra valer!

Só me admita em sua vida se for para fazer de mim a ÚNICA...

Chega de me dar decepção!



Cansei de viver na contramão...

Preciso cuidar do meu coração...

Seja contigo ou não!



PS: Você matou em mim, toda e qualquer possibilidade de um nobre sentimento!

08-11

Dia da pior perda em 1993...


Dia que precede a minha data de nascimento!

Dia em que eu definitivamente só tenho lamentos!



Todo ano nesse dia eu tenho um ritual...

Lembro...

Choro...

Tento esquecer...

Dos amores que tive...

E dos que ainda vou ter!



Ninguém substitui...

Alguém se aproximou muito disso...

Porém resolveu que me magoar era mais fácil do que amar!

Não adianta...



Ninguém vai ocupar o seu lugar...

Lembro do seu sorriso, a me animar!

E quanto mais eu lembro mais me ponho a chorar!

Cadê você agora para me abraçar!



Ainda lembro...

Desses seus calebos louros...

Olhos castanhos penetrantes...

Sorriso de moleque...

A voz tenre e macia, que só me trazia alegria!



Lembro de ti...

E me ponho a pensar...

Será que algum dia nessa imensidão...

Eu ainda hei de te encontrar?



PS: Tenho muitas saudades de ti: Rafael Gustavo Guimbarski (Piléu)

De 23-05-1975 á 08-11-1993

domingo, 6 de novembro de 2011

Pra que?

Pra que me procurar?


Meus sentimento dispertar?

Se não é pra sentir...



Pra que fazer tanta questão em mostrar?

Se não veio pra me amar!

Pra que me fazer perder tempo?

Se não quer viver comigo nenhum sentimento!



Pra que me incomodar?

Pra que perturbar minha paz?

Por que não me deixou quietinha no meu canto?

Hoje tudo se tornou em pranto!



De novo por você eu me pus a chorar...

Pra que tanto me machucar?

Se não for par me amar,

Sinceramente nem apareça!

Meu segredo

Seu olhar encantador...


Acalma minha dor!

Seu sorriso,

Novamente ilumina meu caminho!



Aah coração porque sofre nessa indecisão...

De quem gostar?

Pra quem o coração entregar!



Não tenho amor nenhum...

Apenas um encatamento,

Me encantei por seu sorriso!

Para o meu coração você é um alento!



Baixinho aqui sussurro seu nome...

Soa como uma simpatia...

Para meu coração você devolveu a alegria!

E eu nem ouso aqui deixar seu nome!



És meu segredo...

Eterno segredo,

De um anoitecer primaveril...

Meu coração naquele dia tu seduziu!

Novo Amor

Ele trouxe de volta a poesia...


Os versos sonoros...

Belos...

A nobre poesia!



Ele fez surgir um sorriso,

em meio a lágrimas...

Ele fez brotar esse sorriso!

Esse que hoje carrego em minh'alma!



Esses olhos que me tiram o sussego...

Essa voz que me estremesse toda, tira minha calma!

A é amor, e se não for?

Deve sim ser um novo amor!

sábado, 5 de novembro de 2011

Caminhando

Ela segue caminhando...


Não esta alegre e nem cantando!

Apenas caminhando!



Pelo menos dessa vez não esta chorando!

Ela esta à procura de um amigo...

E continua então caminhando!



Hora ou outra para alguém ela pede abrigo...

Mas no essencial continua caminhando!

Ela cansou de correr perigo!



Neste momento prefere apenas continuar caminhando!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Lamentos...

Eu não sei porque eu sempre tenho que me aproximar...


Se você insiste em sempre meu coração magoar...

Você tem o dom de me fazer chorar...

A cada verso seu uma lágrima minha se põem a rolar!



Triste pesar...

Estou aqui de novo a me lamentar!

Eu cansei de muito chorar!

Quero algo novo a me contentar!



Eu queria mesmo, era a poesia deixar...

Deixar de lado os lamentos...

Esquecer que no mundo existe sentimentos!

Queria deixar de sentir!

Para novamente meu coração se por a sorrir!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Para existir o amar

Quando perceberes o quanto te amei...


O quanto chorei...

O quanto por ti esperei!

Podera ser tarde...



Tarde para se retomar o que não foi vivido...

Tarde para o amor ser exaltado...

Podera ser tarde, por que a muito por ti tenho esperado!



Eu sigo a muito tempo te amando...

E você sempre sai por ai meu coração magoando!

As vezes cansa-se de tanto gostar...

É preciso retribuição para existir o verbo amar!
Quando perceberes o quanto te amei...
O quanto chorei...
O quanto por ti esperei!
Será tarde...

Será tarde para se retomar o que não foi vivido...
Será tarde porque o sentimento me foi negado!
Será tarde porque hoje tenho um coração amargurado!