domingo, 1 de janeiro de 2012

De repente...

De repente a poesia se foi,
como em qualquer de repente, há quem sente...
Ela se foi tão suavemente!

Desapareceu assim de repente!
Há quem diga que é apenas um momento...
Há quem espera ansiosa a sua volta.
Porém esta se foi de repente...

Deixando de lado quem sente...
a poesia se foi...
E os versos se tornaram ausentes...
Não sou mais aquela que sente!

(Thays Lima)

web analyticsSite Meter